ELEIÇÕES

 

REFLEXÃO ELEIÇÕES

Época de eleições. Você também quer saber qual é o melhor candidato em sua cidade para estas eleições. Nós já escrevemos falando de imparcialidade e agora escrevemos na intenção de ajudar a escolher certo, embora isso também não seja tão simples. Vamos a algumas dicas:

 

Não escolha um candidato simplesmente porque ele é seu amigo, seu parente, parente de seu melhor amigo, seu vizinho, um cara legal, alguém que já lhe fez um favor, já brigou por você, alguém que lhe deu um belo presente, enfim, são características momentâneas e isso é muito pouco para coloca-lo para lhe representar na política.
Não escolha um candidato pelo que ele vai lhe prometer nestes poucos dias de campanha, ou pelo que ele vai lhe favorecer nestes dias. Geralmente numa campanha política os candidatos prometem tudo o que o eleitor quer ouvir, e por isso se ganham não realizam a maioria de suas promessas.
Busque informações sobre a vida pessoal do candidato, sua relação com as pessoas no trabalho, em sua vizinhança, entre seus amigos, suas atitudes no dia a dia. Da mesma forma que lida com seus problemas, lidará com os problemas no governo, isso é personalidade. Ninguém muda se for eleito.
Não se iluda com candidatos que criticam demasiadamente, fazem sua campanha fundamentada nos erros dos governantes anteriores. São candidatos que estão buscando erros alheios em troca de sua promoção pessoal, por isso tornam-se mais propensos à artimanhas para se manter no cargo.
Avalie a formação dos candidatos. É claro que não devemos escolher um candidato simplesmente por ter mais estudo do que outro, porém é um quesito a ser levado muito a sério, e principalmente numa dúvida entre dois candidatos ou mais, isso pode ser um critério de desempate em sua decisão.
Não desperdice votos por caridade ou por protestos. Se você ainda julga válido um voto de protesto, por exemplo, veja a seguinte informação da revista fato: “Em 2010 o humorista Tiririca lançou sua candidatura para deputado federal, contudo, não sabia sequer as atribuições do cargo que pretendia ocupar, tendo que comprovar, inclusive, ser alfabetizado para assumir o cargo, porém, através dos votos de protesto, foi eleito com nada mais nada menos que 1.353.820 votos, porém, nenhum, isso mesmo “NENHUM” dos projetos de lei apresentado por este deputado federal foi aprovado.
Não se deixe influenciar por pesquisas, geralmente não são imparciais e buscam iludir o eleitorado. Principalmente se a pesquisa for divulgada por alguma coligação.
Cuidado com candidatos que não aceitam críticas, pois principalmente aqueles que só falam em “processar”, “levar pra justiça”, pois demonstram seu fraco equilíbrio emocional ou oportunismo em intimidar críticos com leis e direitos, e se eleito, estará exposto e receberá muitas críticas nos anos de seu mandato, e poderá ser um problema por não saber lidar com elas ou querer usá-las a seu favor em tom de ameaças. O melhor candidato neste caso é aquele que sabe ouvir e avaliar a crítica e talvez até mudar com ela, não brigar. O povo já está cansado de políticos que usam a Câmara para ficarem brigando por sua imagem mais do que trabalhando pelo povo.
Cuidado com candidatos que exageram no “marketing” de soluções, prometendo obras, bons médicos, remédios, especialistas, creche 24 horas, escolas de primeira, ruas perfeitas, iluminação 100%, enfim, um candidato fora da realidade não cumprirá o que está prometendo, pois essas coisas não se conseguem com um estalar de dedos e nem tem como se programar antes de estar eleito, afinal isso não depende dele, pois senão outros candidatos já teriam feito. Depende de um longo projeto, votação, aprovação, enfim, como podem prometer algo que não está na alçada exclusiva dele?
Finalmente, apesar de parecer óbvio não é nada fácil reunir estas informações e chegar a uma conclusão. É preciso dispensar tempo para isto. Por isso, dizer que já escolheu seu candidato muito antes da eleição, pode ser precipitado. Ouça, avalie, reflita, converse, leia, pesquise, faça uma retrospectiva dos candidatos. Uma sugestão é fazer uma lista de exclusão. Anote o nome de todos os candidatos e comece eliminar aqueles que realmente não poderiam ser seu eleito. Com calma. Se programe para poder refletir até a véspera da eleição. No dia das eleições essa lista com certeza estará bem reduzida, e será mais fácil escolher. Devemos ouvir e avaliar candidato a candidato, para decidir realmente próximo às eleições, pois aí estaremos sendo mais prudentes. Uma outra dica é não dizer a nenhum candidato que seu voto é dele, pois aí pode estar deixando-o acomodado. O candidato deve saber que foi eleito somente no dia da eleição.

 

 

 

PUBLICIDADES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quem curte!

Todos os Direitos reservados - © Copyright 2007-2018 / Destaque Mais
Desenvolvido por Diego Souza