JORNAL DE MONTE

 

Monte Aprazível SP 10-10-2017

SEM OFERTA NO MUNICÍPIO, APRAZIVELENSES BUSCAM EMPREGO EM OUTRAS CIDADES

FOTO: CLAUDINEI

Ao longo dos anos, Monte Aprazível viu serem fechadas diversas empresas que ofereciam oportunidades de trabalho não somente aos seus moradores, mas também para pessoas de outras cidades. Essa triste tendência fez com que a oferta de emprego, antes concentrada no Curtume, na Usina Petribu, nas concessionárias Chevrolet e Ford, na Metalúrgica Justi, entre outras, fosse diminuindo cada vez mais com o passar do tempo.
Desempregados, alguns aprazivelenses se viram forçados a buscar serviço em outras cidades, incluindo Mirassol, São José do Rio Preto, Tanabi ou Neves Paulista. Para falar sobre o assunto, a reportagem do Jornal de Monte entrevistou dois funcionários da metalúrgica nevense CRV Portas e Janelas que se deslocam diariamente de Monte Aprazível para poderem trabalhar.
Claudinei de Souza, 37, relatou que foi inserido no mercado de trabalho aprazivelense como servente de pedreiro, há cerca de 20 anos. Em seguida, conseguiu uma oportunidade na Metalúrgica Justi, empresa na qual trabalhou por cerca de oito anos. “Visando crescimento profissional e aumento salarial, optei por buscar novos desafios e me deparei com uma oferta muito escassa de emprego no município, principalmente para pessoas com menos escolaridade”.
Durante a procura por um novo trabalho, há cerca de nove anos, o aprazivelense conquistou uma vaga na empresa nevense, uma metalúrgica maior, com cerca de 300 funcionários. “Tal oportunidade não foi oferecida somente a mim, mas a outras 15 pessoas que continuam trabalhando na empresa até hoje. No local, trabalho como soldador e, embora corra o risco de sofrer acidentes na rodovia, tenha que levantar mais cedo para pegar o ônibus contratado pela indústria, precise permanecer na cidade durante o horário de almoço, entre outros obstáculos, essa alternativa ainda é muito vantajosa, visto que não há emprego semelhante em Monte Aprazível. Além disso, a empresa fornece duas refeições a todos os funcionários, o que também é um ótimo benefício”.
Claudinei destaca que sempre cobrou dos prefeitos, incluindo Nelson Montoro, para que indústrias fossem trazidas ao município. “Neves Paulista, que é uma cidade menor, possui quatro metalúrgicas, desconsiderando as demais fábricas que também aumentam a oferta de emprego no local”.
Na opinião dele, é necessário que exista oportunidades para que as pessoas construam empresas em Monte Aprazível, visto que muitas já tentaram e não conseguiram mantê-las, o que também afeta o comércio da cidade. “A administração nevense auxilia os pequenos empresários que precisam de um local maior para manter uma fábrica no município, por exemplo”.
Uma situação muito semelhante à de Claudinei também ocorreu com Elizabeth Gonçalves Lisboa, 33, que trabalhava na Metalúrgia Justi, mas ficou desempregada em 2010. “Procurei um novo trabalho por dois anos, fosse em Monte Aprazível, Mirassol ou São José do Rio Preto. Após ter encontrado uma oportunidade na CRV, decidi me mudar para Neves Paulista depois de três anos, mesmo que a empresa ofereça transporte gratuito aos funcionários que residem em outras cidades”.
Para ela, mesmo sendo uma cidade pequena, o município oferece mais opções de emprego, incluindo três metalúrgicas, a Siamar e outras empresas. “Várias já se instalaram em Monte Aprazível e não permaneceram. Acredito que isso aconteça por falta de apoio advindo da administração municipal”.
No mês passado, este semanário publicou uma notícia referente à instalação da empresa DSEM, especializada na área de caldeiraria e metalúrgica, em um barracão desativado do distrito industrial aprazivelense. Responsável pela empresa, Ernildo Basílio da Rocha afirma que, além da geração de 100 novos empregos, o município também será beneficiado a curto, médio e longo prazo.
Nesta semana, o assessor de Relações Públicas, Edgard Vicente, informou que não há previsão para que a indústria comece a funcionar. “Atualmente, a empresa presta serviços em outros estados, locais onde as obras devem ser finalizadas até novembro. Segundo informações do proprietário e do vereador Gilberto dos Santos, o escritório começará a ser montado em Monte Aprazível nos próximos dias e a empresa iniciará o recolhimento de Imposto Sobre Serviços (ISS) para a cidade”.

 

 

 PUBLICIDADES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PUBLICIDADES

 

Quem curte!

Todos os Direitos reservados - © Copyright 2007-2018 / Destaque Mais
Desenvolvido por Diego Souza